2009-01-14

Ajuste directo: O cidadão e a fiscalização do Estado

Tradicionalmente o Estado fiscaliza tudo o que pode da vida dos cidadãos. Mas a origem do poder do Estado reside no cidadão, por isso é lógico que seja este a fiscalizar o outro. A tendência parece ser essa, após os recentes escândalos e falhanços das governações que deixam o poder público num descrédito crónico.

O Paulo manda-me esta referência, bastante pertinente. A ANSOL - Associação Nacional para o Software Livre, que tive o prazer de ver constituída há cerca de 7 anos numa Linux Party organizada pela Câmara Municipal do Porto, publica uma lista actualizada de gastos da Administração Pública, em http://transparencia-pt.org.

A iniciativa da ANSOL é interessante: usar sistemas para descodificar a montanha de informação que o Estado publica.

A Lei é hermética, o sistema fiscal é hermético, o sistema político é fechado... Nessa teia o cidadão é apanhado mesmo que não queira. Nada mais resta ao cidadão des-representado senão evitar vínculos de toda a espécie e precaver-se contra as manobras do "Senhor do Castelo".

Sem comentários:

Enviar um comentário