2009-01-31

O meio é o fim

O vídeo abaixo, que encontrei no blog do Filinto Melo, prendeu-me à cadeira até ao último segundo. Uma das coisas mais engraçadas é usar-se um meio de comunicação para falar das maravilhas do próprio meio de comunicação em uso.

A preocupação de mostrar preocupação pelos new media funciona sempre ao contrário: o objectivo de mostrar que estamos a acompanhar os tempos tem como resultado mostrar a nosso total desfasamento.

É como os artistas de teatro representarem numa peça cuja encenação fala da excelência dos equipamentos de audio e iluminação da própria peça com o objectivo de mostrar que a peça tem qualidade.

É como se um Primeiro-Ministro desse a sua primeira entrevista a falar da qualidade da sua mesa de trabalho e da forma como esta facilita a escrita sobre um papel colocado em cima dela.

Aquilo que se chama de tecnologia já deixou de o ser há muito tempo, assim como já ninguém fala das maravilhas da tecnologia do frigorífico. No entanto assim foi quando o equipamento começou a aparecer nas casas de todas as famílias - era novidade, provocava fascínio (cf. entrevista com Don Tapscott no Twit.tv).

Certos termos, como "navegar na Internet", "ir à Internet", "fazer uma ligação a...", "visitar um web site", "Tecnologias da Informação e Comunicação", "correio electrónico" ou "Janela para o mundo" já começaram ou já caíram completamente em desuso.

Sem comentários:

Enviar um comentário