2009-07-20

Óscares do Tecnologa para o Software Livre


Iniciei uma busca pela distribuição de Linux perfeita - que obviamente não existe mas felizmente todos podem conseguir um "Linux Me" configurando bem o seu sistema.

À partida, para mim seria qualquer coisa como o Puppy Linux mas que conseguisse instalar mais facilmente qualquer pacote de software vindo de fora. Ou ainda não percebi bem as coisas, ou tipo instalar o Mono no Puppy deve ser um pesadelo canino.

Assim, nos próximos tempos vou apurar um conjunto de candidatos e nomear informalmente uma espécie de "Óscares do Software Livre". Para já, temos que ser autênticos! Isso significa começamos a usar o software no dia-a-dia, comparando com o que existir de alternativa e daqui a algumas semanas poderemos apresentar os "premiados", ou melhor, os sobreviventes...

Tendo como base num Ubuntu comecei a desistalar tudo o que não usava e a procurar o programa mais perfeito para cada finalidade. A ideia é ter apenas um programa para cada coisa e que esse seja o melhor segundo os critérios que tão facilmente se descobrem neste blog: simplicidade e (muita) rapidez sem que fiquemos sem as funcionalidades que necessitamos.

Até ao momento, esta caminhada que vai no seu início já trouxe algumas coisas interessantes: redescobri os gestores de janelas light, após uma quantidade de tempo com o KDE, Gnome e XFCE.

Depois de umas voltas pelo interessante mundo modular do Linux, entrei nos limites do código mínimo, ao nível dos Kbytes! Comecei a parar no Openbox para gerir as janelas, Tint2 para painel de aplicações, Rox Desktop para gestor de desktop e xterm para emulação de consola.

(A beleza do GNU/Linux é também essa: o painel, o desktop e as janelas são mantidas por peças de software separadas mas que trabalham em conjunto.)

A esses juntei alguns que já conhecia do meu dia-a-dia: Aptitude para gestor de pacotes de software, Geany para editor de texto e scripting, Gimp para editor de imagem, Inkscape para desenho vectorial, Pidgin para messenger e Thunderbird para leitor de email. Não passo sem o Firefox devido a alguns add-ons fora de série, mas começo a dividir-me, usando um browser web mais leve para navegar e o Firefox para coisas mais específicas.

Outros programas só conheci mesmo na semana passada e fiquei impressionado com as suas potencialidades: Eye of Gnome (Eog) para visualizador de imagens, Galeon para navegador web (um Mozilla light), PCMan File Manager (excelente!) e... o já mencionado Freemind, que está óptimo em Linux.

A filosofia Zero Install também entrou na minha bagagem e espero que haja cada vez mais software de instalação automática via URL...

Então, a ideia é viver com esta software durante uns tempos e ver se ele sobrevive às nossas predisposições, necessidades, vontades e gostos.

Esta tentativa é mesmo de fugir do software gordo, que passa 90% do tempo a produzir efeitos gráficos ou tarefas que o utilizador não necessita. É a procura de um sistema essencialmente elegante e simples que faça as coisas bem feitas.

Também é fugir do software que por ser gratuito pode ser de menor qualidade ou eternamente beta - não precisamos de suportar isso.

Mas é inimaginável o desperdício de recursos tão valiosos que os sistemas modernos provocam.

Então, ficam as primeiras nomeações e aguardo sugestões de quem quiser participar, e dentro de alguns posts cá estaremos com os resultados. Por enquanto tenho estado a descobrir software tremendamente bom e a ficar espantado com a quantidade de tralha que tenho instalada neste velho PC...

Sem comentários:

Enviar um comentário