2010-02-14

Impressoras de papel acabam. Nascem as impressoras 3D


Foi em 1970 que a Xerox deitou as mãos à cabeça. A empresa que detinha a patente da xerografia (as chamadas "fotocópias" de papel), na iminência da invenção do microprocessador por parte da Intel, depara-se com o anúncio do fim do papel - toda a informação passaria a ser guardada em formato digital.

Foram precisos 40 anos para nos livrarmos do papel. À boleia da crise dos últimos três anos, as ronceiras e preguiçosas administrações das empresas lá foram sendo chutadas para frente com a cenoura da redução de custos.

No twitter de Celso Martinho encontrei uma ótima referência à comunidade portuguesa de impressão 3D. É uma onda semelhante ao Homebrew Computer Club  - engenheiros de garagem associados à geração hacker/phone phreak que lançam invenções visionárias que moldam as décadas seguintes.

Na impressão 3D é a mesma coisa que está em causa: equipamentos caríssimos são reproduzidos em miniatura por um enxame de gente até colocar de joelhos toda a indústria.

O site do projecto disponibiliza tudo o que é necessário para começar. A comunidade de desenvolvimento está espalhada pelo mundo e um dos aspectos mais interessantes do projecto é que as próprios materiais para impressão ("plástico") podem ser cultivados e reciclados num pedaço de terra de cultivo, de forma totalmente ecológica.

Para quem quer avançar e mudar o mundo, o tempo é agora!


RepRap from Adrian Bowyer on Vimeo.



Sem comentários:

Enviar um comentário