2010-05-17

Pirataria informática: cuidado com as multas

A notícia da Lusa de hoje, que dá conta que em Portugal a "Pirataria provocou perdas de 174 milhões à indústria de software em 2009", merece alguns comentários:

Hoje em dia as pessoas sabem que o GNU/Linux é um sistema mais potente que o Windows e é fácil de usar - é tudo uma questão de adaptação inicial. Não tem "sharewares" a 30 dias nem necessita de antivírus no futuro próximo.

Na maior parte dos casos já é possível às empresas pouparem rios de dinheiro instalando algo como o Ubuntu e fugir totalmente da situação das cópias ilegais.

Depois acontece que, além do OpenOffice estar cada vez melhor, o facto é que estes pacotes "Office" são já coisa do século 20 - uma empresa a sério tem software de gestão web e não organiza a informação espalhada em ficheiros word e excel.

Quiseram vender a imagem de que o "Office" era para escritório dando-lhe o nome de "Office". Esta é uma das maiores falsidades e mentiras da indústria de software. O "Office" é um tipo de aplicações domésticas que imita procedimentos antigos de trabalhar, como "máquinas de escrever", etc. e que as empresas - tanto quanto possível - devem recusar em favor de sistemas a sério centrados em bases de dados a sério.

A sugestão é simples: instalar dois ou três PC's com Linux, aprender um pouco e massificar o sistema a todos os PC's da empresa onde isso for possível.

Sem comentários:

Enviar um comentário