2012-08-04

Linux, o núcleo de sistema operativo mais usado do mundo (mas não parece)

Se julga que Linux é um sistema minoritário então veja o vídeo abaixo e atualize a sua ideia. É na realidade o sistema mais usado em todo o mundo.

O vídeo demonstra a importância e a preponderância real do Linux como núcleo de sistema operativo, que na verdade encontra-se em quase todas as plataformas de computação.

A computação não se limita ao universo PC. Provavelmente estamos a ver a plataforma PC a entrar no seu "outono" perante a explosão de dispositivos baseados em processadoress ARM.

Boa parte dos routers, servidores, smartphones e televisores funcionam por cima de Linux em todo o mundo. A maior parte das transações financeiras é efetuada com infraestrutura Linux.

O recentemente lançado Raspberry Pi, um computador de 30€, corre Linux, assim como muitos tablets e  outros concorrentes da computação de baixo custo.

Aqui fica um resumo dos números, do vídeo da Linux Foundation:

- Mais de 850 mil smartphones usam ativamente Linux, contra 30 mil telefones windows (?? Aparentemente o número deveria ser 300 mil)

- 700 mil televisores são vendidos a cada 24 horas a correr Linux

- 8 em cada 10 trades financeiros são feitos em plataforma Linux

- 9 em cada 10 supercomputadores correm Linux

- Google, Twitter, Facebook e Amazon têm a sua infraestrutura em Linux

- Linux é construído colaborativamente e é transversal a companhias, geografias e mercados

- Linux é o maior projeto colaborativo da história da computação

- Desde 2005, cerca de 800 programadores de 8000 empresas contribuiram para o Linux

- As contribuições resultaram em 15 milhões de linhas de código

- 1,5 milhões de linhas de código foram escritas entre 2010 e 2012

- A cada 2 a 3 meses sai uma versão principal do Linux. Outros sistemas operativos demoram anos.

- São aplicados 6 correções de código por hora no sistema Linux

- Linux tem um papel dominante nos dispositivos móveis, nas empresas, e na infraestrutura web, data centers, supercomputação, e mais...


Sem comentários:

Enviar um comentário